Pé diabético: como evitar amputação » Skinsoles Palmilhas Exclusivas

Pé diabético: como evitar amputação.

  • 0

Pé diabético: como evitar amputação.

No Brasil, em média, a cada 10 minutos um diabético sofre amputação no pé – parcial ou total.

 

Segundo dados do ministério da saúde, cerca de 20% das internações de pacientes com diabetes são decorrentes de lesões nos pés e 70% das cirurgias de amputação tem como causa o descontrole da diabetes – são 55 mil amputações ao ano em pé diabético que podem ser evitadas.

 

Uma das principais origens desse elevado número é o descontrole da glicemia de pacientes diabéticos. De acordo com a coordenação do Grupo de Educação e Controle do Diabetes do Hospital do Rim (UNIFESP), 90% dos diabéticos tipo 1 e 73% dos diabéticos tipo 2 estão com a doença fora de controle.

 

O que é o pé diabético?

Pacientes com Diabetes, tanto do tipo 1 quanto do tipo 2, podem desenvolver complicações nos pés em decorrência da doença. Micoses, joanetes, calos e ulcerações (feridas) são as principais. Em alguns casos, as feridas são tão profundas que acabam chegando até aos ossos do paciente.

pé diabético

Pé Diabético: Como cuidar – 10 dicas essenciais

 

O que pode gerar essas lesões e até amputações no pé diabético

 

As duas principais causas são as lesões nos nervos (neuropatia diabética) e a má circulação sanguínea (vasculopatia diabética), ambas consequências do elevado nível de açúcar no sangue.

 

O excesso de açúcar no sangue provoca lesões nos nervos e entupimento nas artérias. Os nervos são feixes de fibras nervosas que se comunicam com o cérebro enviando mensagem de estímulos e sensibilidade – como a dor, a sensação de temperatura (quente/frio), tato, etc. A neuropatia diabética, no princípio, pode provocar excesso de sensibilidade, tornando as dores muito intensas mesmo com pouco estímulo. Com a progressão da doença e os danos nos nervos, ocorre a redução da sensibilidade, ou mesmo a perda total. Desta forma, os pés ficam mais sujeitos a ferimentos sem que o paciente sinta dor, facilitando a progressão dessas lesões. Além disso, a má circulação dificulta a chegada de sangue e oxigênio no local das lesões, o que acaba tornando o processo de cicatrização muito mais lento.

 

Sintomas do pé diabético

 

Veja abaixo quais são os sinais de alerta:

– Dormência e formigamento dos pés – As lesões nos nervos afetam a sensibilidade, provocando dormência e formigamento nos pés;

– Ressecamento da pele – a má circulação do sangue nos pés provoca o ressecamento da pele;

– Dedos e extremidades dos pés com coloração roxa – com a falta de uma circulação sanguínea eficaz os dedos e as extremidades dos pés podem ficar roxos;

– Dor, agulhadas e queimação – a elevada taxa de glicose no sangue dificulta que os impulsos nervosos cheguem corretamente até os pés, levando à dor e queimação;

– Perda de sensibilidade nos pés – com o descontrole e o avanço da doença, os pés se tornam mais frios e a sensibilidade começa a ser perdida progressivamente.

 

Consequências que acometem o pé diabético

 

Com a perda da sensibilidade, os pés ficam mais sujeitos a ferimentos sem que o paciente sinta a lesão. Devido ao excesso de açúcar e à má circulação, a cicatrização se torna mais lenta, provocando feridas, ulcerações (feridas abertas) que podem evoluir para infecções mais graves e destruição de tecidos mais profundos (gangrena). Caso o pé não seja amputado pode ocasionar infecção generalizada e levar o paciente à morte.

Como evitar amputação

 

O autocuidado é a principal força para combater o alto número de amputações em pés diabéticos. É preciso manter os níveis de glicose no sangue monitorados e controlados através de hábitos saudáveis, como alimentação e atividade física regular. Consultas frequentes ao seu médico também são extremamente importantes.

 

Além disso, a atenção e o cuidado minucioso com os pés é fundamental para evitar as consequências mais graves. Secar bem os pés, não andar descalço, o uso de palmilhas personalizadas e de calçados adequados são alguns desses cuidados. Nesse post, preparamos uma lista completa e detalhada de cuidados essenciais para o pé diabético.

Pé Diabético: Como cuidar – 10 dicas essenciais

Compartilhe esse conteúdo!